4.10.08

Boa leitura (6) O escritor metido a chef


Julian Barnes e um de seus temas preferidos. Assim ele se apresenta: “O Pedante na Cozinha só quer fazer comida gostosa; sem envenenar os amigos”

Entre panelas, assadeiras, todo tipo de utensílios e engenhocas úteis e inúteis e centenas de livros de receitas, o romancista Julian Barnes conta suas aventuras — muitas vezes decepcionantes — diante do forno e do fogão neste “O Pedante na Cozinha”, seu segundo livro sobre o tema.

Nascido em Leicester, Inglaterra, em 1946, o premiado autor de “O Papagaio de Flaubert” e “Amor, etc.”, entre outros, conta como foram suas primeiras experiências culinárias, na época em que era ainda um estudante universitário fora de casa, nos anos 1960, e seus progressos ao longo da vida.

Erudito, bem-humorado e abertamente irônico, fala de todos os problemas por que passa um “chef” doméstico e exigente — no seu dizer “pedante” —, afeito a explicações precisas sobre medidas e temperaturas exatas de cozimento, das modas nessa área e tece comentários nem sempre agradáveis sobre chefs que estão em evidência na Europa, como o catalão Ferran Adrià, dono de um restaurante inovador em Barcelona, elBulli, e Heston Blumenthal, do The Fat Duck, em Bray, cidadezinha perto de Londres, este uma “rara mistura de supremo gastrotecnólogo que entende os repuxos e flexões de cada músculo e cozinheiro de imaginação bem rococó”.

Em meio a fatos engraçados, como o de encomendar um esquilo esquartejado numa casa de carnes orgânicas para experimentar e receber um esquilo inteiro e despelado, Barnes dá dicas e se solidariza o tempo todo com aqueles que querem, simplesmente, fazer uma comida gostosa e conta anedotas sobre a culinária britânica, os ingredientes, as brigas com designers de cozinhas e bons e maus conselhos sobre ser um bom anfitrião.

“O Pedante da Cozinha [como se denomina] não está interessado em saber se cozinhar é ciência ou arte; ele se conforma se for um hobby, como marcenaria ou reparos domésticos. Nem é um cozinheiro competitivo”, escreve. “Ele só quer fazer comida gostosa, nutritiva; sem envenenar os amigos.”

O único senão do livro são as referências a hábitos alimentares e carnes e verduras comuns na Grã-Bretanha, mas não existentes no Brasil — como couve-marinha, couve-nabo, pastinaca — e a livros tradicionais de receitas desconhecidos por aqui e muito utilizados por lá. Como se um autor brasileiro recomendasse a um inglês algo correlato ao “Comer Bem — Dona Benta”, por exemplo. Um detalhe, porém, que não chega a prejudicar o prazer da leitura.

“O Pedante na Cozinha” - Julian Barnes - Rocco, 142 págs., R$ 24,50

Publicado no caderno "EU&Fim de Semana" do jornal "Valor" em 20/6/2008

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home